domingo, 26 de abril de 2015

Ainda eu falava mal da matemática

Eu juro que tento mas não consigo atinar com a programação. Começo e dez minutos depois já estou a deitar as mãos à cabeça e com vontade de espetar uma caneta na carótida.

Vocês não têm bem noção do quanto isto me stressa, mas tenho um trabalho para entregar e nem do início passo, ainda só estou no inicio do programa e não sei porquê, nem sequer estou a conseguir visualizá-lo.

Podia pedir ajuda à minha madrinha de praxe que adora programação e percebe desta merda a portes, mas ainda por cima morreu-lhe a avó e a última coisa que eu lhe vou fazer é pedir para me ajudar nesta merda agora.
Eu juro, não sei como raio vou passar a esta cadeira.

7 comentários:

Daniela Nogueira disse...

Boa sorte com isso! :p

o bo(l)bo da corte disse...

A primeira coisa que deves fazer, é esquecer a matemática.
Para quê lembrar coisas tristes?
E a seguir, não querendo parecer um daqueles "doutores" da autoajuda, penso que tens que ter uma conversa contigo e dizeres a ti própria, que tens tantas capacidades como qualquer pessoa normal. Às vezes é só uma questão de confiança.
Podes não acreditar em mais ninguém, mas tens que acreditar em ti. Mesmo que sejas uma aldrabona do caraças, tens de acreditar que és a "máiór".

FME disse...

Credo, isso não era para mim. Good luck.

Indigo disse...

Até te ajudava, se percebesse alguma coisa disso xD

Margarida disse...

Boa Sorte...

Sofia disse...

Que linguagem é?

Green disse...

Vais ver que tudo se faz :)