quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Português


Tive 10,5 a Português. Uma merda, portanto. Ela disse que, se não fosse a minha interpretação ao lado, até me tinha safado bem.
E que raio de interpretação foi essa? perguntam vocês.
Meti Fernando Pessoa, ou melhor, Álvaro de Campos, a falar com um candeeiro. Sim, eu sei, o homem metia-se no ópio mas não andava assim tão mal. Em minha defesa tenho a dizer que até fazia sentido e que, ao reler o poema com essa interpretação, até soava bem! 
Isto de tentar interpretar a poesia é uma porcaria. Não há nada mais subjectivo, caraças!

9 comentários:

miii disse...

Eu até gosto de português e de interpretar poemas, mas tens razão, é tudo muito subjetivo!

Joana disse...

Como eu te compreendo, nunca soube interpretar poemas! No exame tive uma reles nota à custa disso.

Ana disse...

Eu gostava bastante de português até agora. As minhas notas de português não têm sido nada famosas por causa do Pessoa e dos heterónimos

Karina sem acento disse...

E eu que adorava Fernando Pessoa, ortónimo e heterónios! Mas também tive a felicidade de ter uma grande professora de Português, que ensinava muito bem. Dava-nos as bases, explicava-nos cada um dos seus personagens, as suas características e era o suficiente para conseguirmos perceber os seus poemas. :D

*C*inderela disse...

Uma vez mais devias ter um 20, só demonstras ter uma mente criativa, o que é bom a português, eheheh.

Inês Trigo disse...

Ai Fernando Pessoa, Fernando Pessoa...
Está a dar cabo das notas de quase todos nós... Eu ainda me lembro quando Português era engraçado e fácil...

Janne disse...

até tenho medo quando for eu a dar isso!

Green disse...

Não dás mesmo para isso, não podemos ser bons em tudo... deixa lá.

Cátia Cardoso disse...

Antes de mais, gostei bastante do teu blogue!
Posso, por curiosidade, saber qual era o poema em questão?