domingo, 23 de agosto de 2015

Domingos de shopping

Ia eu nas escadas rolantes do shopping, quando deixo cair um saco. E o caraças do saco não se limita a cair-me aos pés, cai-me dois degraus abaixo, aos pés de um homem.

O que é que ele faz? Olha para o saco, olha para mim, e vira-se para a frente. Sim, só isto.
Eu faço a minha cara de cu, desço os dois degraus a correr e tento apanhar o saco sem deixar os outros quinhentos que tinha nas mãos. 

O homem, ao ver-me naquela confusão de sacos, volta a olhar para mim e a ignorar-me completamente.
Entro em modo cabra e começo a falar sozinha:
- Ah mas não se preocupe em ajudar então, por quem sois! Não se incomode, obrigada. 

Ele ouviu mas fez de conta que não era nada com ele. Quem também ouviu foi o homem que ia atrás de mim, que por me estar a ver tão revoltada, depois até me segurou a porta para eu passar, não fosse eu também lhe rogar uma praga a ele.

7 comentários:

Beatriz Sousa disse...

As pessoas são mesmo más

APENAS PALAVRAS disse...


Os grandes momentos das nossas vidas vem do imprevisto. O imprevisto não é pensando e nem detalhado. Ele nasce do tempo com uma finalidade. Tornar o momento inesquecível.
Quando achamos que tudo vai dar certo, acontece um imprevisto...

Lindo texto seguido dos seus acontecimentos.... bj ... te espero no meu cantinho

Ju. disse...

Infelizmente há muita gentinha assim, que não se mexe para nada! Mas tu lidas bem com eles, pelo que vejo! xD
Beijinho*

Ronnie disse...

Realmente é preciso muita lata, não custava nada ajudar!
Beijinhos :)
http://those-colorful-words.blogspot.pt/

Xiá CC disse...

Também já me aconteceu uma coisa parecida em que a pessoa para quem dirigi o comentário também ignorou mas o amigo que estava atrás se desmanchou a rir.

Tim disse...

já não há cavalheiros --

Green disse...

Fizeste muito bem, há gente mesmo parva!