terça-feira, 28 de julho de 2015

Definitivamente, não nasci para ser magra

No Domingo ao almoço vi o meu pai e o meu irmão a comerem um bitoque cheio de molho, batatas e ovo (bastante parecido com o que se come no céu, portanto) e eu, gaja orgulhosa da minha pessoa e da minha força de vontade, peço uma salada. 

Salada essa que ok, era boa, mas em nada se comparava à bela bomba calórica que tinha no prato em frente. Mesmo assim, sô dona Patrícia comeu a salada e no fim sentiu-se mesmo orgulhosa por se ter conseguido armar em gaja saudável.

O problema é que passado três horas estava com uma fome descomunal e a única coisa que nos apareceu à frente foi o McDonald's. Acho que não é preciso dizer mais nada.

6 comentários:

Ines sampaio freitas disse...

KKKKKKK... Eu sou daquelas que pode comer pouco mas engorda sempre!

o bo(l)bo da corte disse...

Desde que comecei a fazer uma dieta mais cuidada, cada vez que vou ao restaurante acabo de comer a minha dose e fico com vontade de mandar vir outra.
Sim, eu antes de ser declarado diabético com direito a livrinho e máquina de picar o dedinho, era gajo para mamar um bife com batatas fritas, arroz, ovo estrelado e tudo a que um bife tem direito e a seguir "amandar abaixo" uma dose de bacalhau ou polvo à lagareiro. E ainda me "encharcava" em sobremesas.
Agora também era capaz, mas fico-me quase sempre pelos legumes e saladas, "regados" com uma bela garrafa de água e um café sem açúcar.
Vida triste...

Tim disse...

também sou assim :X

Tim disse...

também sou assim :X

obsidiana disse...

Estão explicadas as gorduras extra. ;P
Um pecadito de vez em quando, é um bom antídoto contra as "depressões" das dietas. ;P

Green disse...

Ahahahah, o problema das comidas leves é mesmo esse, pouco tempo depois estamos esganadas :)