terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Asneira feita (e desta vez não fui eu)

Três ramos da árvore de Natal partiram-se e por "coincidência" a minha cadela apareceu cheia de coisitas brancas em cima do lombo.

Chego a casa, olho para a árvore e os três últimos ramos partidos. Enfeites no chão e uma festa do caraças. Vi logo que tinha sido coisa da cusca da casa. Viro-me e só vejo a cabeça dela a espreitar por entre as almofadas, naquela do "se ela não me vir se calhar não descobre". Mas não consegui ralhar muito com ela. Caguinchas como é, imagino o que ela correu quando os ramos lhe caíram em cima.

E não sei o que raio lhe deu, em tantos anos nunca se tinha metido com a árvore de Natal. Imaginem a desgraça que vai ser na Noite de Natal com a outra pulguita mais nova cá em casa. Vai ser do género "ai tão brilhante, será que é para comer?".

5 comentários:

Briana disse...

Vais ficar sem árvore de natal..
O meu irmão vê-se aflito todos os anos é tentar impedir o gato ir para a árvore de natal.. Não sai de lá dentro

JS disse...

Mete-a na rua, de castigo a guardar a casa, como ESTA FERA. eheheh

Paula Laranjeira disse...

Quando o meu cão faz asneiras também não consigo ralhar muito com ele! E parece-me que vais ficar sem árvore... ahah xx

JS disse...

Aquele rodopio rápido, no final, deixa qualquer ladrão borrado de medo, não achas? ahahahah

Green disse...

Isso é que foi diversão, para ela claro :)