quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Deixem-me que vos diga

As minhas aulas de condução dividem-se em dois grupos:
-as aulas em que o instrutor mete música decente e eu vou ali, aflitinha da vida para cantar, mas não posso, porque pronto né, o homem também lá está;

- as aulas em que ele mete naquelas rádios manhosas e eu vou a aula toda a ouvir FF, e depois só me apetece saltar com o carro em andamento.

3 comentários:

Estudante disse...

Ahah :P tens sorte... o meu instrutor era um carracundo... nem música, nem nada...

JS disse...

Quando andava a tirar a carta, não me lembro de um dia- um único dia - em que não me desse uma daquelas mijanceiras que um gajo até sente suores frios e quentes, ao mesmo tempo. Era certinho e direitinho: entrava no carro e passados 2 minutos estava capaz de me mijar pelas pernas abaixo.
Isto não seria muito grave se as aulas fossem num sítio como este onde moro agora, com muitos terrenos e quintas. Mas eu tirei a carta em Lisboa e, tirando aquelas aulas em que íamos treinar a marcha-atrás para a Cidade Universitária, o resto eram entre o Areeiro e a Praça de Espanha, sem qualquer hipótese de uma paragem para aliviar a bexiga.
E isto deve-te interessar tanto, como te interessa o preço do carapau, na lota de Matosinhos :/

Green disse...

Pensa que quanto mais depressa tirares a carta, mais rápido irás conduzir um carro sozinha, onde podes cantar à vontade :)