sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Quanto à bichita

Gente, a bichinha tem comido, esta noite já se portou ligeiramente melhor e não voltou a vomitar. Mas mesmo assim ainda não decidiu defecar e ósportantos não tem alta. Quando a jovem decidir aliviar a tripa e se estiver tudo normal, já pode vir para casa. Espero mesmo que sim!

E estamos um tanto ou quanto arrependidas (eu e a mãe) por ter dado a bichinha aos avós. Eles estão a ficar estranhos, e só pensam neles, e só sabem refilar com o dinheiro que a cachorra os fez gastar (e acreditem, não pagaram quase nada, que a mãe é que pagou). Não sei, antes o meu avô ainda era mais afetivo mas agora nem isso. E se a cadela fosse "normal", tipo a minha, até era na boa. Mas aquela pequenina não confia em ninguém, tem medo de tudo o que se mexe e precisa de muuuuitos miminhos e brincadeira para ver se se começa a habituar às pessoas. E sinceramente não sei se ela ia ficar bem com eles. E depois sinto-me horrível em pensar assim, porque afinal de contas fui eu que lhe dei a cadela! Mas ao viver esta situação de doença da bichinha, sempre pensei que tivessem outra atitude.

7 comentários:

Cláudia S. Reis disse...

Não seria melhor a pequena ficar uns tempos em tua casa até se habituar mais às pessoas? Pelo menos lá teria uma companhia de quatro patas e na maioria dos casos viver em "matilha" faz bem aos cães :)

Espero que ela fique totalmente boa rapidamente!

JS disse...

Esperemos então que ela cague um diagnóstico positivo, antes de deitarmos foguetes e que a força esteja com ela.
Quanto ao problema da despesa, não te admires com os avós, porque na primeira cirurgia da minha, uma familiar ficou admirada por termos gasto tanto dinheiro com uma cadela rafeira.
Provavelmente se fosse dela deixava-a morrer.
Até os animais são discriminados...

Gonçalo Lopes disse...

Fala com os teus avós e propõe ficares um tempo com a cadela na fase de tratamento... não sei! :/

As melhoras!

the friendly ghost disse...

Essa cadela é uma lutadora e vai sair da clínica na maior, a cagar-se para diagnósticos fatais.

Isso dos teus avós, não ligues. A idade leva as pessoas a encarar a vida com alguma apreensão.
Infelizmente o nosso país não toma conta dos seus idosos, o que, depois de uma vida de labuta, deixa as pessoas com uma sensação de insegurança tremenda e qualquer despesa extra é vista como uma ameaça à sua sobrevivência.
Se poderes dá uma ajuda e encara essas despesas com a saúde da bicha como parte do presente. Ele vai acabar por se afeiçoar a ela, se não tiver que viver com a angústia de estar a esbanjar o pé-de-meia. :)

Ju. disse...

Se calhar seria melhor que a adotasses, nem que fosse durante uns tempitos! :/
Beijinho*

Green disse...

É a forma de agir das pessoas, não quer dizer que não gostem dela. No entanto, o mais importante é que ela está muito melhor :)

Anónimo disse...

Quanto à bichita... como é que está hoje?