sexta-feira, 14 de março de 2014

Sobre a coadoção

Eu nem vejo notícias por isso nem sei das coisas, mas hoje a minha mãe comentou muito revoltada que a coadoção foi chumbada.
Gostava que me explicassem como é que querem que o país ande para a frente se acabámos de renegar um direito a uma parte da nossa sociedade que, felizmente, se anda a assumir a cada dia com mais força. Não percebo como é que conseguimos ser tão mesquinhos. Caramba, porque é que a orientação sexual de uma pessoa tem de ser problema de quem a rodeia? Cabeças pequeninas, meu deus...

Eu tive a sorte de ser adotada com um mês e meio e o meu irmão com dez meses. Não me lembro do tempo em que estive na instituição, obviamente. E ainda hoje me meto a pensar onde raio estaria agora se as coisas tivessem sido diferentes. Se em vez de me entregarem a mim, tivessem entregue uma outra alforreca com cara de joelho aos meus pais. E se eu nunca tivesse conhecido o meu irmão? E as pessoas que conheço agora? E se eu estivesse a esta hora na rua, com a cara toda furada e a fumar uma, toda contente e sem uma ponta de educação?
Eu já convivi com pessoas que passaram a vida toda numa instituição e nessa noite posso-vos jurar que não dormi nada só a pensar nisto. Porque eu cheguei a ver duas irmãs de sangue que viviam nessa instituição, à porrada como se fossem dois animais. E meteu-me impressão o facto de aquelas raparigas todas não terem noção do que é ter uma educação.

E por acaso fui adotada por um casal heterosexual, mas se tivesse sido adotada por um casal homossexual, nada mudava. Eu continuava a não ter passado os meus 19 anos numa instituição. Eu continuava a ter regras. E a saber o que é ter uma educação. E ter pais. E ia ser feliz.
Se os filhos de casais homossexuais vão ser gozados na escola? Sem dúvida! Mas porra, nós na escola somos gozados por tudo! Por termos borbulhas, por sermos magros, por sermos gordos, por termos uma perna maior que a outra ou por sermos burros que nem uma porta. Mas se houver uma educação que os ensine a lidar com isso, eles sobrevivem, acreditem.

Fiquei mesmo triste por saber que afinal não passamos disto...

21 comentários:

S* disse...

Fiquei mesmo triste com a nossa mesquinhez. Gente que não pode ver os outros felizes.

O teu exemplo é lindo!

clara alves. disse...

concordo completamente contigo, e foi chumbada apenas por 5 votos, é revoltante toda esta situação...mas já nem sei mais, queixam-se que o país não anda, obvio, não o deixam andar...:/

Lia disse...

Patricia, juro que adoro quando falas a sério nos teus posts.... E concordo EM PLENO com o que disseste.

JS disse...

E depois aquelas bestas parece que não sabem que uma grande (enorme) percentagem dos maus tratos e abusos sexuais, são perpetrados pelos pais verdadeiros, assumidamente grandes machões.
Pensar que somos nós que pagamos o ordenado a estes políticos... :\

Andy disse...

R: Obrigada :) Bem preciso

Audrey Deal disse...

O que escreveste é muito bonito. Eu não conheço bem a realidade das instituições de acolhimento, mas já fiz um trabalho sobre isso e estive de perto e conheci muitas crianças e de facto, embora parecessem felizes, faltava-lhes muita coisa. Acho uma estupidez ter sido chumbada, as crianças precisam de uma família que goste delas. É muito bonita a tua história e nota-se que foi o melhor para ti, tens a cabeça no sítio e és boa pessoa, parabéns aos teus pais

Kiara disse...

Não fazia ideia que tu e o teu irmão tinham sido adotados :o mas concordo com tudo o que escreveste, aliás, era exatamente essa a minha opinião antes de ler isto. Arranjam cada desculpa para não assumir que são preconceituosos...
r: é muito mau eu dizer que nem sabia que phi era uma constante? xD mas vou pesquisar, obrigada :b

Kiara disse...

r: nunca li livros dele... considero-me perdoada! xD

Kiara disse...

Obrigada pelo teu perdão! O meu auto-perdão já tinha, só faltava mesmo o teu! xD

Vírgula disse...

Gostei muito do que escreveste, a sério! Ficámos a saber mais sobre ti, no fundo :)

r.: não correram lá muito bem as aulas, mas "prontos"

Lexie disse...

r: MESMO! eu também não sei receber elogios, fico sempre tão atrapalhada :o

Sofia disse...

Não sabia que eras adotada mas adorei as tuas palavras*

Kyle Phillipe disse...

um dos melhores textos que já li sobre este assunto!

Athena disse...

Sobre isto a minha mãe disse-me que recusaram, porque lhes foi recusado o referendo.
Ou seja, não lhes foi dado o que queriam, o país sofreu. Aliás, crianças que podiam ser adoptadas, sofreram.
Olha! Porra de país!

Dreamer disse...

Concordo com tudo o que disses-te!
Dantes eu não concordava muito com isto porque eles iam ser gozados mas e depois? Pelo menos iam ter uma casa e um teto onde se abrigar!
O mundo assim não vai mesmo a lado nenhum. Muito menos a sociedade!
Adorei o texto!

Aricia disse...

Não fazia ideia que tu e o teu irmão eram adoptados. O que os teus pais fizeram foi um gesto muito bonito *.*

Roger disse...

Dos melhores posts que já li aqui no teu blog. Porque é um testemunho sincero e real de alguém que conhece a realidade da adopção (neste caso, heterossexual). E tenho a dizer que concordo contigo!

Joanna disse...

Não conhecia esta parte da tua vida... :) mas concordo com o que disseste e não entendo como se chumbou o futuro de tanta criança. Eu fui criada por um casal heterossexual e não foi por isso que tive uma infância mais feliz... enfim. beijo

Blackbird disse...

É uma situação mesmo revoltante...

Green disse...

Concordo tanto contigo, mas vivemos num país cheio de gente parva e cheia de preconceitos.

Luna disse...

Enerva-me tanto isso,enerva que as vezes ate fico com as lagrimas nos olhos e com vontade de partir tudo,e olha que eu sou uma criatura fria. Os meus pais são contra os homossexuais,embora digam "ah e tal,quero la saber",volta e meia é "isto é normal?Homem com homem e mulher com mulher?Que ia ser destas crianças?" e quando se viram para mim com um ar de sei la o que com cenas do tipo "isto é normal?",revolta-me tanto mas tanto. Epa,eu sei que o que eu vou dizer é horrivel,mas os meus pais não foram feitos para serem pais,nem toda a gente o é e há que saber ver isso. É horrivel veres filmes familiares com trocas de carinho entre pais e filhos,veres pessoas proximas a ti (da tua familia) terem uma otima relaçao com os pais,é horrivel num ponto em que mesmo agora estou aqui com as lágrimas nos olhos e quando vejo coisas dessas fico igual e com um vazio no coração.Não me vou alongar muito mais,mas há coisas mais do que meter comida na mesa e pagar os livros da escola e o desporto que faço,ser pai e mãe não é so isso,e infelizmente,é uma falha que eu me vou lembrar sempre. E como esta é a primeira vez que ando a escarafunchar o teu blog,não sabia disto,mas olha,és uma rapariga de sorte,os teus pais mudaram o teu possivel destino...Se me importava em ser adotada por um casal homossexual?Claro que não,o que importa não é isso,nada mesmo...