sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Apesar de tudo, não consigo ser cabra

Normalmente a Patrícia é a gaja sincera que diz as coisas todas à bruta e, por vezes, até é sincera demais. Eu sou a gaja que diz as coisas mais suavemente. Que quando as diz, até tenta ser fofinha e assim...
Mas hoje, a Patrícia estava a cantar uma música a gozar e depois exagerou na desafinação.

E eu, que estava distraída, saio-me com um:
- Epá então? Tu cantas mal mas também não é assim tanto...
De repente apercebo-me do que digo, olho para ela muito aflita e apresso-me a corrigir:
- Não, não cantas assim tão mal! 

Ela desata a rir e eu também, mas fiquei a sentir-me tão mal que enterrei a cabeça no casaco e desatei a rir.
Isto de ser uma cabra insensível e direta não é para mim.

4 comentários:

Briana disse...

ahah mas nem foste assim tão cabra.. havia maneiras piores de dizer

Su disse...

queri aser como tu =p
sou directa e raramente penso no que digo... as palavras saiem-me - nao tenho a culpa xD

Alexandra e Elisabete disse...

É verdade não foste assim tão "cabra"! Se fosse eu dizia logo que não queria morrer hoje xD
-Alexandra

Green disse...

Por outro lado, sempre ouvi dizer que os amigos nos devem dizer as verdades, faz parte.