quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Memories


Meti esta imagem cá mas por acaso não concordo. Meti-a cá mais como uma espécie de motivo de debate (se é que se pode chamar assim). 
Para mim, as más recordações são quase tão importantes como as boas. Quero dizer, sim, as más recordações magoam e lembram-nos de coisas que não queremos, mas também são elas que fazem com que nós não nos esqueçamos do que já passámos. São elas que nos dão as lições, os "abre-lhos". E é por causa delas que não caímos no mesmo erro duas vezes (ou três vá... duas ainda se cai...) É por causa delas que aprendemos, que nos tornamos fortes, que somos quem somos.
Mas isto é a minha opinião. Qual é a vossa? O que é que vocês acham? Vá partilhem,  não sejam acanhados...

15 comentários:

Ervilha Coscuvilha disse...

Eu concordo contigo. Nós queremos eliminá-las, mas elas acompanham-nos sempre: directa ou indirectamente, porque é com elas que nós crescemos. E é uma "dor" que, de certa forma, vai desaparecendo, pelo menos a forma como nos magoa vai reduzindo, porque nós também vamos amadurecendo e evoluindo.

Patrícia disse...

Exactamente! Concordo contigo :)

Susi disse...

Não sou acanhada! Ihih
Tens razão! As coisas boas e as más são as que nos fazem crescer, aprender. Dizem: O que não nos mata torna-nos mais fortes, e é mais ou menos assim. Pelo menos torna-nos mais astutos, e menos ingénuos.

Patrícia disse...

Haha eu sei, estava a brincar :)
Exato, é bom para nós aprendermos algumas coisas :)

moon disse...

Para ser sincero gostava de eliminar algumas memórias. É certo que se aprende com as coisas más, mas algumas delas continuam a fazer-nos sofrer mesmo depois de já termos aprendido com os erros :/

Mim disse...

Quando eu perder a capacidade de andar pelos meus pés e a memória, estou pronto para morrer.

eu-sou-eu disse...

Devem-se guardar todas as memórias. Mas há coisas que mais valia esquecer...

Manteiga disse...

também não concordo, não te sintas a única ahah
Esquecer as más memórias é apagar metade de uma história, ficando só com o que é bonito e criando assim uma história-tipo-disney. Lamento, mas não existem. E quem me dera a mim que existisse. Mas concordo com o facto de valorizar as boas memórias, dar mais importância a essas, embora as outras estejam sempre lá, porque não podem, nem devem, ser esquecidas :D
E por vezes uma má memória torna-se uma boa história com o tempo. o típico "daqui a uns tempos vamos nos rir disto" ahah

Carolina* disse...

Eu concordo. Não trocava nenhuma das memórias que tenho porque já ultrapassei todas as coisas más e, como dizes, aprendi com os erros :)

patrícia disse...

Há memórias que não me importava nada de conseguir apagar. Perdia alguns medos e livrava-me da memória de alguns dias horríveis em que não consigo deixar de me lembrar.

Patrícia disse...

moon- Sim, isso também é verdade mas assim já sabemos que dói, já aprendemos qualquer coisa :)

Mim- Realmente... Mas não te preocupes, o estado de decomposição não está assim tão avançado homem :)

eu-sou-eu- Esquecer não digo, mas que dói a lembrar, sim...

Manteiga- Concordo com tudo o que disseste :)

Carolina- Exato :)

patrícia- Oh patrícia olha que não sei. Apagam-se uns medos, criam-se outros... Hahaha sim, liguei-te às nove da manhã e acordei-te... És uma dorminhoca pá!

Palavra Já Perdida disse...

Também concordo :)
Devemos saber lidar com as coisas más e boas, principalmente com as memórias. Fazem parte de quem nós somos.

Patrícia disse...

É mesmo :)

Estudante disse...

Concordo contigo :) desde que essas más recordações nos façam crescer e aprender, claro. Também há recordações más que na verdade não nos serviram para nada e apenas nos magoaram...

Green disse...

Eu concordo contigo, as más memórias, os maus momentos servem para crescermos, para aprendermos e evoluirmos. Se por magia nos esquecêssemos de todas elas, estávamos sempre a cometer os mesmos erros, uma e outra e outra vez.