sexta-feira, 30 de maio de 2014

Isto assim não pode ser

Hoje de manhã, esperta, a beber leite no carro, sujei-me.
Cheguei ao ginásio, meti água na camisola (veja-se, ensopei aquela porra) e deixei-a pendurada no cabide enquanto fui treinar. Quando voltei aquela porcaria ainda estava super molhada. Agarro nela, vou à parte onde estão os secadores de cabelo, estendo a camisola na banca e começo a secá-la. Estava lá uma gaja que só se ria. As mulheres a entrarem e a saírem e eu ali, a secar a camisola, toda contente.

Entretanto, estava já a vestir a camisola, quando me apercebi que a estava a vestir ao contrário. Solto um:
- Burra do carago!
À minha frente estava uma jovem que olhou logo para mim muito chocada, porque pensava que estava a falar para ela.
Eu- Não, não, estava a falar sozinha...
Ela- Ah, ok, ok... - e começa-se a rir.
Eu- É eu... às vezes falo sozinha. Vá, não é só às vezes, até costumo falar um bocado mas pronto, isto era para mim... não era para ti.

Não sei porquê, a gaja ficou com cara de quem me acha um bocado maluca. Se calhar foi por eu ter falado super depressa e toda atrapalhada. Estou a tornar-me demasiado social, tenho a dizer...

3 comentários:

JS disse...

Pois... as nódoas de vinho custam a sair. Ahahah

Green disse...

Só tu...

Briana disse...

acho que é mais por falares sozinha.. Recebo esses olhares demasiadas vezes