domingo, 18 de maio de 2014

Gente, tende noção

Fui jantar a um restaurante do amigo do pai. Aquela cena era só turistas e labregos. Mas labregos mesmo top. Então eu e a minha mãe decidimos avaliar as alminhas que por ali andavam.

A coisa ia de mal a pior quando eu vejo entrar o barril mais mal vestido que alguma vez vi. Já nos seus quarenta e tal anos, ia com um top e uma saia branca, justíssima, com uma barra transparente. Barra essa que era logo a seguir às cuecas. E para melhorar a coisa, a saia era tão justa que toda a gente conseguia ver a parreca da mulher. 

Mas calma que a coisa piora. Antes da dita cuja, havia uma linha que separava a banha que lhe caía para baixo, e a dita cuja. Era o triângulo das bermudas em versão filme de terror. Aquela pobre estava tão apertada que quase a ouvia gritar por liberdade. Tenho a certeza que quando a mulher tirou a saia até a ouviu respirar fundo.

Nisto a mulher começa a andar e passa por mim. Jesus Cristo, nunca vi tanta celulite apertada numa saia só. Lembro que a saia era branca e apertaaaada que eu sei lá, o que fazia com que se vissem crateras no cu da mulher. Crateras por todo o lado.

Eu avisei logo a minha mãe de que muito provavelmente a ia acordar durante a noite para me deitar com ela, que aquilo ia dar-me pesadelos para um mês.

11 comentários:

Anónimo disse...

Se ela demorava muito, quando tirava a saia a "parreca" (lol) tinha morrido e fedia (FEDIA) pior que um gato atropelado há 15 dias. :P

Anónimo disse...

Desculpa lá, mas lembrei-me desta:

Aquilo é que é ter "a coisa" controlada. Ahahahahahah

Carolina disse...

Que horror, mandaste-me aqui uma imagem xD ahahah

Cláudia S. Reis disse...

Meu deus :o

Audrey Deal disse...

OMG aquela senhora não deve ter olhos na cara. Uma vez vi o mesmo mas no comboio, a rapariga teve de ir sempre em pé porque se se sentasse... NEM QUERO IMAGINAR

Becas disse...

O que eu me ri agora xD

Aricia disse...

Há pessoas mesmo ridículas xD

*Nightwish* disse...

Me-do. Não percebo a necessidade das pessoas mais gorduchinhas se prestarem a esse papeluxo. As pessoas cheiinhas não têm que se vestir mal só porque não são magras, mas há que ter bom senso e olhos na cara... Essa senhora podia perfeitamente ter encontrado um conjunto que, talvez não a favorecesse (não ia parecer magra só porque sim), mas ao menos poderia dizer: saí à rua e não fui o palhaço da festa de ninguém... ****

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Briana disse...

sou apolesgista de que cada um veste como quer.. Mas que imagem que me deste.. Quem vai acordar a meio da noite sou eu

Green disse...

Bem... acho que nunca vislumbrei tal coisa, para bem dos meus pecados. Credo!!